Facão de Dilma de R$ 70 bilhões tira do povo para cevar banqueiros

Em pouco mais de quatro anos, o governo Dilma jogou a economia no fundo poço. O país está à deriva, a administração pública paralisada, a desindustrialização é uma realidade e o desemprego se alastrando por todos os setores. Essa situação é resultante da política de privilegiar o setor financeiro, com a transferência de recursos públicos para os bancos, principalmente sob a forma de juros, os maiores do mundo...

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou hoje (12) que a produção industrial brasileira, no primeiro trimestre do ano, comparativamente ao mesmo período do ano passado, apresentou resultados negativos em 11 de 15 locais pesquisados...



Números divulgados nesta quinta são referentes ao primeiro trimestre. Resultado aponta para baixo apetite de empresários por investimentos.

Os desembolsos e as consultas por novos financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) tiveram queda expressiva no primeiro trimestre, ressaltando a fraqueza da economia brasileira e o baixo apetite de empresários por investimentos...

Essa é a maior queda para o mês de março desde 2003. No trimestre, o comércio acumula queda de 0,8%.

As vendas do comércio varejista brasileiro seguiram em queda. Em março, na comparação com fevereiro, o indicador recuou 0,9%, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (14) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)...

Redução dos juros, derrubadas das MP's 664 e 665, contra a terceirização em atividade-fim e regulamentação dos terceirizados

As Centrais Sindicais (CGTB, CTB, CUT, Força Sindical, NCST, UGT, CSP-Conlutas, CSB e Intersindical) e dezenas de sindicatos se reuniram na segunda-feira (11), em São Paulo, e unificaram a pauta da jornada de luta do movimento sindical, com vistas ao Dia Nacional de Paralisação e Manifestações - Rumo à greve geral, no dia 29 de maio...

Segundo a CNDL, houve recuo de 0,59% nas vendas a prazo neste ano. Trata-se da segunda maior queda em seis anos de série histórica, informou.

As consultas para vendas a prazo recuaram pelo segundo ano seguido em 2015, de acordo com indicador calculado pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e divulgado nesta segunda-feira (11). Segundo as entidades, a queda foi de 0,59% em relação aos sete dias que antecederam a mesma data comemorativa no ano passado...